Microchip vale a pena?



O microchip é obrigatório por lei em diversas cidades no Brasil e no mundo e é uma das formas mais seguras de identificar os animais de forma definitiva, pois não é possível removê-lo. O grande problema, ao menos aqui no Brasil, é que muitas pessoas ainda não sabem o que é ou como ele funciona e por isso, quando encontram um animal, não lembram de ir ao veterinário verificar se ele tem o chip.

Acreditando na ideia de que hoje as pessoas têm cada vez mais acesso a informação eu apliquei o microchip Virbac Backhome na Bali e na Julinha a uns 5 anos atrás. Nunca precisamos usar, mas considerando que, se um dia acontecer qualquer coisa, esse é mais um meio de ajudá-las a voltar para casa eu considero um bom investimento. A colocação do chip não inutiliza a medalha de identificação, ela é super importante caso o animal se perca, mas não é um método infalível, porque um animal perdido ou roubado pode ter a coleira arrancada ou perde-la durante o caminho.

O chip tem o tamanho de um grão de arroz, a aplicação é subcutânea e feita por um veterinário com uma “seringa”. Ele fica dentro de uma cápsula de biovidro cirúrgico (mesmo material utilizado em marca-passos), dura aproximadamente 100 anos e não possui nenhum tipo de bateria, ele fica inerte o tempo todo e só emite energia ao ser reconhecido pela leitora. Junto com o microchip você recebe um certificado e etiquetas com números idênticos ao do microchip, que podem ser colocadas na carteira de vacinação, toda vez que você precisar informar os dados do seu animal (nome, idade, sexo..) o número do microchip passa a ser um dado importante a ser repassado.

Todos os seus dados de contato e informações sobre o animal ficam gravadas no sistema da Virbac, se o seu animal se perder, como chip é universal, qualquer veterinário que tiver uma leitora, independente da marca, pode fazer a leitura do chip, identificar o número do animal e acessar o banco de dados ou entrar em contato com a central de atendimento da Virbac para saber quem é o proprietário. A leitora é um aparelho que ja se tornou comum em clínicas e pet shops e nenhuma delas pode cobrar para fazer a leitura do chip, apenas pela sua colocação. Ou seja, se você encontrar um animal na rua e quiser verificar se ele tem o chip é só ir até um estabelecimento que possua um leitor.

No site da Virbac é possível conferir o endereço das clinicas parceiras que possuem o leitor deles https://www.backhome.com.br/parceiros/clinicas/

Vantagens:

  • É obrigatório implantar o microchip no cachorro ou no gato se o animal estiver viajando para qualquer países da Europa e no Japão

  • O microchip não precisa de nenhum tipo de recarga, só irá ser ativado pelo leitor

  • É impossível que o cão ou gato perca o microchip

  • Não para de funcionar por toda a vida do animalzinho

  • Não é necessário realizar nenhum tipo de manutenção


Sobre o autor: Profissionalmente sou arquiteta, mas divido o meu tempo fora do escritório entre o amor pelos animais, pela água, pelo skate e por uma vida mais sustentável. A 7 anos atrás fundei o projeto @openbarcanino e a loja @openpet, que ajuda a manter o projeto, desde então passei a viver mais ao ar livre, comecei a me interessar por comportamento animal e procuro incluir os meus cães em tudo que faço: viagens, passeios, remadas, pois estes momentos compartilhados me dão energia para a rotina do dia-a-dia e me ajudam a proporcionar uma verdadeira “vida de cachorro” para eles.

Acompanhe o Zoologico!

Instagram: @meuzoologico

#Gato #Cachorro #Saúde

0 visualização

openbarcanino@gmail.com

Porto Alegre  -  Rio Grande do Sul

  • facebook
  • Instagram Limpa
  • Branco Twitter Ícone

site desenvolvido por EmPlanta Projetos